Mensagem de Boas-vindas

O Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa (IHMT/UNL) e a Associação para o Desenvolvimento da Medicina Tropical (ADMT) convidam-vos para o 4º Congresso Nacional de Medicina Tropical (CNMT), ao qual se associa o 1º Encontro Lusófono de Sida, Tuberculose e Doenças Oportunistas, e que têm lugar entre 19 e 21 de abril de 2017, em Lisboa, integrando as comemorações dos 115 anos do IHMT.

Um Congresso sobre temas localmente relevantes mas com dimensões globais e tropicais
O CNMT é um evento bienal, que reúne cientistas e especialistas dos estados-membros da CPLP, da Europa e de todo o mundo, sendo o mais importante congresso sobre saúde global e medicina tropical em Portugal.

O principal objetivo da edição de 2017 é estabelecer uma plataforma para debater temas e doenças cosmopolitas com especificidades próprias em países tropicais, nomeadamente a Sida, a Tuberculose e as Doenças Oportunistas.

Os temas serão abordados em sessões temáticas plenárias ou decorrendo em paralelo, e em sessões científicas com apresentações orais ou em póster, por convite ou por submissão (iniciativa pessoal dos participantes), sendo o objetivo destas sessões alargar as intervenções ao conjunto dos temas mais tradicionais na saúde tropical – malária, bilharziose, leishmanioses, tripanossomoses, Zika e dengue, entre outros.

Será revisto o estado da arte em termos de conhecimentos atuais e de estratégias de controlo, cobrindo aspetos que vão desde a investigação básica às questões relacionadas com a implementação de novas terapêuticas e tecnologias, bem como com diversos aspetos que influenciam os sistemas de saúde.

Intercâmbio cultural na lusofonia
Dado que a ciência é uma das grandes manifestações da cultura humana, o 4.º CNMT vai abordar, por um lado, o impacto do progresso científico nas sociedades lusófonas e, por outro, o impacto das grandes mudanças disruptivas, como as migrações, as crises de refugiados e as crises económicas na saúde e nos sistemas de saúde.

Adotando como língua de trabalho a portuguesa, reafirma-a como veículo de transmissão de conhecimento científico e também cultural, particularmente em relação à tuberculose.

Após a identificação do bacilo da tuberculose por Robert Koch em 1882, antecedendo a descoberta da estreptomicina por Selman Waksman em 1940, os métodos de tratamento para a tuberculose eram relativamente simples e empíricos. Os efeitos curativos do ar fresco eram reconhecidos desde os tempos de Hipócrates e Galeno e levaram ao estabelecimento de sanatórios em regiões serranas com uma arquitetura própria. O património arquitetónico dos sanatórios da tuberculose, em Portugal, no Brasil e noutros estados membros da CPLP, bem como a sua influência sobre o Movimento Modernista, estará patente numa exposição organizada em parceria com a Casa de Oswaldo Cruz.

Iremos igualmente ter um Concurso de fotografia com o objetivo de divulgar as atividades desenvolvidas pelo Instituto e instituições parceiras em todas as suas vertentes de atuação. Podem concorrer todas as pessoas envolvidas ou relacionadas, pelo seu trabalho, com o Instituto. As fotografias a concurso devem ser submetidas até ao dia 31 de janeiro de 2017 e as eleitas vão integrar uma exposição que vai estar patente entre 1 de abril e 30 de junho de 2017, no IHMT/UNL.

Em Alcântara, perto de Belém, o início de uma viagem por Lisboa e pelo mundo
O CNMT 2017 vai ocorrer em Alcântara, perto de Belém, um marco importante em Lisboa, Portugal, do início da primeira globalização propulsionada pelos descobridores portugueses.

Em Alcântara, chamamos a atenção para a capela de Santo Amaro, o Convento das Flamengas e o Convento do Calvário. Entre Alcântara e Belém, pode desfrutar da belíssima paisagem, num passeio junto ao rio Tejo. Já em Belém, recomendamos a visita ao imponente Mosteiro dos Jerónimos, à Torre de Belém, ao Padrão dos Descobrimentos e a vários museus, como o da Marinha, dos Coches, da Presidência e da Eletricidade.

De Belém e das vistas do rio Tejo poderá igualmente partir à descoberta das colinas, das ruas, das praças e dos jardins de Lisboa e do seu rico património histórico e cultural onde as influências da globalização ainda hoje se fazem sentir nos seus múltiplos registos e estilos arquitetónicos fruto da influência de muitas eras de intercâmbio comercial e cultural com o resto do mundo.

Por fim, não esquecer de fazer uma pausa para degustar a nossa gastronomia tradicional onde, uma vez mais, técnicas ancestrais de confeção e tempero usando materiais, especiarias e condimentos de todos os cantos do mundo, o farão viajar por outros caminhos de prazer e plenitude global.

Em conclusão, tudo bons motivos para se inscrever no 4º Congresso Nacional de Medicina Tropical e vir visitar-nos em Abril de 2017. Contamos consigo!

Paulo Ferrinho
Diretor do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da
Universidade Nova de Lisboa
  Miguel Viveiros
Presidente do 4º Congresso Nacional de Medicina Tropical